5 razões para NÃO colocar rodas aro 27,5 em sua MTB aro 26

Escrito por Lucia Saraiva em . Publicado em Artigos, Dicas

Autor: Henrique Andrade

Fonte: http://www.praquempedala.com.br/blog/5-razoes-para-nao-colocar-rodas-aro-275-em-sua-mtb-aro-26/
Olá pessoal! Aqui vai um assunto que os “especialistas” de plantão dos fóruns vão ficar p&tos da vida comigo. Mas é importante alertar mesmo assim! Essa semana tive a oportunidade de conversar com um diretor da área de desenvolvimento de produtos de uma das maiores marcas de bikes do mundo (prefiro não falar o nome da marca). Perguntei para ele sobre a questão da conversão de bikes 26 em 27,5. E para minha surpresa a resposta dele foi: “Não faça isso!”. Os motivos são simples: A mountain bike é um veículo leve e milimetricamente planejado para aguentar impactos e situações bastante extremas, sem perder estabilidade e tendo um mínimo de segurança. Quando se coloca uma roda aro 27,5 em uma estrutura que foi cuidadosamente planejada para um aro 1,5 polegada menor. Existem uma grande alteração na estabilidade, forças exercidas sobre o quadro e suspensão e centro de gravidade da bicicleta. O que alteram MUITO e de forma imprevisível o comportamento da bike. Para não ficar a minha palavra contra a dos grandes “especialistas” que tem por ai… Fui buscar uma fonte com bastante credibilidade. Josh Patterson, é mecânico de bicicletas e editor da parte técnica do Site Bike Radar. O maior site do mundo sobre aspectos técnicos de bicicletas. Ele escreveu um artigo com 5 motivos para não fazer a conversão. Para acessar o original, aqui vai o link. Vou fazer aqui uma tradução:

1. Não é algo certo

Tem um monte de fóruns dedicados a convencer as pessoas a colocar as rodas “levemente maiores” nos quadros aro 26. Muitas das conversas nos fóruns são sobre quais os quadros são compatíveis com essa conversão. Não existem garantias de que o seu quadro aro 26 vai acomodar as rodas 27,5 (650b). Se a sua bike for uma Santa Cruz Blur TRc ou uma Ibis Mojo HD, essas são as mais comuns para a conversão. Mas ambas as marcas afirmam que a conversão não é o ideal.

2. Só porque cabe, não significa que vai funcionar

Você não está em uma trilha somente porque a sua bike acomoda os aros 650b e os pneus. Pode até parecer que cabe no stand de reparo, mas no teste real, é quando você toda a sua suspensão traseira se comprime 100%. Provavelmente o pneu vai acertar o seat tube (ou ficar muito perto). Ou pior… a coroa do garfo vai acertar o pneu dianteiro. 650B Para ajustar a suspensão para que a roda caiba no quadro 26 mesmo em situações extremas, existem algumas gambiarras que podem ser feitas no garfo, com espaçadores de borracha ou limitar o curso da suspensão traseira. Mas ambas interferem na performance da bicicleta. Em bikes Hard Tail. Você pode comprar só a suspensão 650b, mas isso irá afetar a geometria e consequentemente a dirigibilidade de sua bicicleta.

3. Diminua os pneus e diminua a diferença

Outra opção é colocar pneus com perfil mais baixo. Isso diminui as chances do pneus pegar na bike… Porém, também diminui as vantagens de você estar utilizando o aro 27,5… Superlight Compressed1 Além de perder estabilidade e resistência por estar utilizando pneus mais finos.

4. A performance vai ser mediana, no máximo

Vamos supor que você ignore tudo o que está sendo dito e coloque rodas 650b no quadro 26… Você vai ter que comprar novos pneus, novos aros, talvez um garfo novo. Isso com certeza vai sair mais barato que uma bike nova O problema é que provavelmente você não terá grandes resultados com isso. Você terá aumentado 25mm em uma roda, mas terá alterado todo o resto da bicicleta. Com a alteração você terá aumentado a altura do caixa de centro, vai ter modificado o curso da suspensão da sua bike, para evitar o impacto com a coroa. Talvez precise de pneus mais finos, também para evitar o impacto tanto no garfo como no seat tube. Se você optar por uma suspensão 650b, você vai alterar o ângulo do head tube, altura da caixa de centro, ângulo do seat tube e aumentar o comprimento total da bike… Ou seja construiu uma bike nova. Com tantas alterações, é simplesmente impossível identificar qual o ganho que aconteceu por conta do aumento das rodas… Com tantas variáveis confusas na equação. Nenhuma conversão será melhor que uma bike projetada 100% para os aros 650b.

5. Paciência é uma virtude

Pergunte a você mesmo: Vale a pena empurrar uma roda ligeiramente maior em um quadro 26, só para ter ganhos marginais de rolagem e tração com o risco de perder segurança e performance e dirigibilidade? Tem um monte de aros 650b sendo lançados, desde hard tail a bikes de DH. Logo, logo, todo o tipo de marcas de quadros e rodas já estarão disponíveis em 650b. Se ainda não estiver afim de gastar com a 650b. Teste a bike de algum amigo que seja feita especificamente para 650b e tire as suas conclusões daí. Não converta uma 26 em uma 27,5. Se você for um cara que gosta de apostas e está ansioso para se juntar a galera que está fazendo as conversões. Provavelmente em um futuro próximo, serão lançados quadros planejados para que a conversão seja feita e ai você poderá fazer o sua conversão.

Complementos

Marcelo Rocha, o maior especialista em Bike Fit no Brasil, deixou suas contribuições para o texto: “Outros detalhes importantes: – A altura da caixa de centro em relação ao solo vai ser aumentada (ela e o que eles chamam de BB drop, andam juntos; BB drop é a diferença de altura dos eixos da roda para a caixa de centro e vice-versa) você vai estar em uma bike com a caixa de centro mais alta em relação ao solo, porém com um BB drop de uma caixa de centro mais baixa. – Nas bikes 29 e 27,5 de fábrica a altura de caixa centro em relação ao solo aumenta quando muito 5 mm em relação à 26 (vários fabricantes mantém a mesma). E os fabricantes aumentam justo o BB drop para manter a bike estável e não colocar a caixa de centro lá em cima. Ou seja, os eixos das rodas sobem e a caixa de centro permanece lá embaixo. – O trail dessa bicicleta é calculado para uma roda 26 e com tal ângulo de caixa de direção e vice-versa, você também terá alterações de dirigibilidade por conta disso. Trail é a diferença da projeção do ângulo da caixa de direção para o solo, e do eixo da roda da frente para o solo. Só para ilustrar: imagine uma moto tipo uma HARLEY, o trail dela é imenso, enquanto uma moto tipo do Valentino Rossi tem o trail bem menor. – A largura de guidão de uma bike 26 foi pensada para esterçar essa roda considerando o desvio angular que ela tem, se a roda aumenta, e o guidão? E por aí vai. Saudações!”

Trackback para o seu site.

Deixe um comentário

Você deve ser um usuário autenticado para deixar um comentário.