Dicas Gerais

Escrito por Bruno Riggs em . Publicado em Dicas

1. Ajuste do selim: Para verificar a altura do selim, coloque os pedivelas de forma a ficar paralelos ao tubo do selim e sente-se, sem sapatos, na posição de pedalar enquanto uma outra pessoa segura a bike. A sua perna estendida deve estar reta quando o calcanhar opoiar-se no pedal inferior. A altura correta para você permitir que o joelho da perna estendida fique ligeiramente dobrado ao usar calçados, numa posição correta para pedalar, com a planta do pé no pedal. O ângulo (inclinação) do selim e o seu posicionamento para frente ou para trás afetam, ao mesmo tempo, o conforto ao sentar e o uso do guidão, por alterar a pressão colocada no mesmo. O ajuste correto de tal ângulo é meramente uma questão pessoal, por isso escolha um que lhe proporcione maior conforto.

2. Mudança de marcha: Ao mudar de marcha em sua bike faça planos com antecedência. Você pode mudar de marcha somente quando o pedivela e a corrente estiverem se movendo para frente. Ao cambiar, reduza a força nos pedais. Tensão excessiva na corrente dificulta a mudança de marcha. Evite trocar de marcha ao passar por cruzamentos de estrada de ferro ou em terrenos acidentados. A corrente pode não mudar de marcha corretamente e cair. Evite mexer as duas alavancar do câmbio juntas.

>3. Cuidados ao dirigir no molhado: Nenhum freio, não importa o modelo, funciona tão bem no molhado como no seco. Os freios, mesmo quando estão devidamente alinhados, lubrificados e mantidos, requerem uma pressão e distâncias maiores para frenagem em terreno molhado. Antecipe o tempo extra que será necessário para parar. Lembre-se também que a chuva causa pouca visibilidade (tanto para você como para os outros motoristas) e reduz o atrito. Nesta situação, faça as curvas mais devagar. Folhas e tampas de bueiro escorregadias são também perigosas. Não passe com a bike sobre poças de lama, elas podem ser profundas, causando a queda do ciclista.

4. Mantenha a bike limpa: Para manter a sua bike em boas condições de funcionamento, conserve-a limpa. Se o quadro ou um componente estiver sujo, limpe-o com um pano úmido. Se você estiver ouvindo som de “areia” ou rangido em qualquer rolamento, este precisa de manutenção.

5. Evite deixar a bike exposta ao tempo: Quando não estiver pedalendo, mantenha sua bike protegida da chuva, neve, sol, etc. A chuva e a neve podem fazê-la enferrujar. Os raios ultravioletas do sol desbotam a tinta e provocam rachaduras nas partes de borracha ou de plástico.

6. Instruções para conserto de câmara furada ou troca de pneu gasto:

6.1. Para bikes com freios cantiléver ou em V, desengate o freio removendo o seu cabo conector. Obs: Se você estiver removendo a roda traseira, posicione a corrente na menor coroa do pedal e na menor coroa do cambio traseiro.

6.2. Para rodas com porcas nos eixos, destarraxe-as gradualmente alternando os lados. Isto previne o desajuste nos rolamentos do cubo. Para rodas com alavancas de blocagem, solte a alavanca do cubo e na roda dianteira desenrrosque o ajuste da blocagem com três voltas completas. Segure o câmbio traseiro para cima e para trás ao remover a roda traseira do quadro. Remova a roda.

6.3. Esvazie o pneu completamente e retire-o do aro com as mãos ou com ferramentas próprias. Não use objetos pontudos como chave de fenda.

6.4. Ao consertar um vazamento na câmara, faça-o com um remendo apropriado ou sibstitua-a por outra. Examine a parte interna do pneu e do aro para ter certeza de que não há objetos estranhos salientes ou presos na parte interna. Certifique-se de que a tira protetora cobre todas as porcas dos raios e que os pneus não apresentam desgastes ou qualquer outro dano.

6.5. Infle a câmara até começar a tomar forma e instale-a no pneu. Passe o tubo da válvula através do furo do aro,e cuidadosamente, monte o pneu usando as mãos. Cuidado para não prender a câmara entre o aro e o pneu na montagem.

6.6. Coloque 50% de pressão no pneu enquanto verifica se a borda está devidamente encaixada no aro. Esvazie o pneu novamente. Isto ajudará a evitar qualquer dano à câmara.

6.7. Encha o pneu até a pressão indicada na lateral. Coloque a roda novamente no quadro, ajuste a alavanca de blocagem ou o parafuso e recoloque o cabo do freio.

6.8. Gire a roda para verificar se ela está centrada e movendo livremente, sem atrito.

Tags:,

Trackback para o seu site.

Bruno Riggs

Bruno do Nascimento Santos Pereira possui graduação em Sistemas de Informação pela Faculdade Hélio Rocha. Bruno Riggs