Regulagem de Câmbio

Escrito por Bruno Riggs em . Publicado em Dicas

É comum estar pedalando e ver alguém com a bicicleta estralando. Muitas vezes as nossas também estão assim.

Para um funcionamento correto das marchas de nossas bikes, é necessário que as polias do câmbio traseiro estejam alinhadas com o pinhão (o conjunto de pinhões compõe o cassete ou catraca) mantendo a corrente centrada. Caso não esteja, ela atrasa na mudança de marcha, ou pra subir ou pra descer. Se atrasar para subir, é necessário “puxar” um pouco o cabo (no regulador do manete ou cambio traseiro), se atrasar na descida (mais perigoso) tem que “soltar” o cabo de cambio. Isso para cambios convencionais, há alguns que trabalham invertidos.

As vezes tentamos regular e não dá jeito. Pode ser um sinal de desgaste do câmbio, cria folgas não permanecendo firme; gancheira torta, mantém as polias inclinadas; ou sujeira pelos conduítes e cabos, dificultando a movimentação dos cabos.

Já o câmbio dianteiro, é mais simples de regular quando está na coroa do meio, pois dificilmente você conseguirá usar essa coroa com a primeira ou a ultima atras. A corrente raspará no cambio. Por questão de gosto, na minha bicicleta regulo o cambio dianteiro de modo que permita utilizar a mais leve atras, sendo que quando preciso das mais pesadas (as duas ultimas) faço a mudança pra terceira coroa na frente. O cambio dianteiro deve permitir a mudança pra coroa pequena e grande sem atrasos ou queda de corrente.

Um detalhe importante é sobre os momentos de mudança de marcha. Evite trocar de marcha quando estiver fazendo força em subidas, isso atrasa a mudança e põe em risco a vida útil dos componentes da trasmissão. O ideal é tentar dar uma aliviada no pedal ou pedalar um pouco em pé pra acelerar a bike. Haverá momentos em que a mudança será feita mesmo fazendo força, aí pode demorar a mudar ou forçar tudo.

Os cambios da marca SRAM atuam no sistema de 1:1, ou seja a cada milimetro de cabo liberado, é um milimetro de curso do cambio. Isso aumenta a velocidade de resposta do cambio e diminui a necessidade de regulagens. Já a marca Shimano atua no modo 2:1, sendo que o mínimo de cabo liberado dobrará o efeito no cambio. Hoje com os cambios no sistema Shadow, o funcionamento dos Shimano estão muito próximos do SRAM, proporcionando alegria aos que desanimaram com a marca no passado.

Video comparativo entre as duas marcas no mesmo terreno:

Esse “trabalho” que os cambios Shimano fazem permite que o cambio se desregule com mais facilidade além de aumentar o desgaste nos pivôs. Hoje os Shadow da Shimano já não fazem esse movimento, trazendo maior durabilidade e confiança ao sistema.

Bom, se sair para pedalar e notar sua corrente fazendo “tec tec tec” é sinal de que o cambio pode estar desregulado. Atenção também para o desgaste das peças, ja citado em outro tópico (manutenção da Corrente).

Abraço a todos e bons pedais, sem problemas.

Crédito e Fonte: http://dellabikes.com.br/blog/?cat=4

Tags:, , ,

Trackback para o seu site.

Bruno Riggs

Bruno do Nascimento Santos Pereira possui graduação em Sistemas de Informação pela Faculdade Hélio Rocha. Bruno Riggs